NOSSOS VÍDEOS

domingo, 1 de novembro de 2020

A busca pela cura

Drª Márcia Mayumi Fujisawa

Muitas vezes, ao nos depararmos com algum incômodo, dor, sangramento, procuramos o auxílio de um profissional médico, a fim de obtermos um diagnóstico, um tratamento. Na maioria das vezes, se pensa e busca tratar somente o físico, mas nós somos um ser bio-psico-sócio-espiritual, em outras palavras, temos um corpo, uma mente, nos relacionamos em sociedade e buscamos a transcendência (tendo religião ou não).

Entender esta dinâmica, nos ajuda a tratar a pessoa como um todo, e não parte dela. Ajuda também o paciente se dar conta de que precisa se cuidar como um todo, e não somente tomar um medicamento.

Certa vez atendi uma pessoa no pronto atendimento com queixa de dor de cabeça. Ela estava tendo crises há algum tempo, tinha histórico de passagens pelo pronto socorro, já havia feito uma investigação, mas o fato é que não melhorava. Após duas medicações diferentes, sem melhora, fui novamente conversar com o paciente, afinal devia ter mais alguma coisa. Ele não havia associado a perda do pai, há alguns meses, a essa dor, mas os fatos coincidiam. Chorou bastante, pois ainda estava tudo muito vivo, era recente. Sem mais nenhuma medicação, ele melhorou. Era a dor da perda que estava desencadeando a dor de cabeça.

Em relação à nossa parte social, devemos considerar que não vivemos sozinhos, precisamos uns dos outros. Nossos familiares, amigos podem ser importante fator para contribuir com a nossa melhora. Ter alguém, se sentir amado, saber que alguém próximo se importa conosco faz muita diferença.

Do mesmo modo, sabe-se que pessoas que têm fé, que rezam, conseguem obter melhores resultados em tratamentos de câncer, doenças cardiovasculares, além de conseguirem melhores taxas de êxito para controlar algum vício, como parar de beber e de fumar. Cientificamente já se observam vários trabalhos que comprovam que a espiritualidade/religiosidade interferem no processo saúde e doença. Entenda-se espiritualidade como busca pessoal para entender questões finais sobre a vida, seu sentido, e religiosidade como aquilo que o indivíduo acredita, quando segue e pratica uma religião.

Muitas pessoas que buscam fortalecimento pela espiritualidade vivenciam todos, ou pelo menos, alguns destes pontos: perdão, gratidão, auto-perdão, resiliência, amor. Estas atitudes e sentimentos acolhedores, quando colocados em prática, beneficiam o nosso organismo.

Quando temos dificuldades ou não conseguimos perdoar, sentimos raiva ou rancor, esses sentimentos agem como um veneno, desencadeando transtornos de ansiedade, depressão, estresse crônico, comprometendo a nossa saúde mental e física. 

Ter consciência de que temos um corpo, uma psique, vivemos em sociedade, e temos uma dimensão espiritual, faz com que compreendamos e cuidemos de tudo que nos envolve. Para termos saúde, todas estas áreas precisam estar bem, e não é somente com um medicamento que alcançamos a cura!




Drª Márcia Mayumi Fujisawa é missionária da comunidade Canção Nova e médica no Posto Médico Padre Pio, em Cachoeira Paulista (SP).







***

domingo, 20 de setembro de 2020

A NATUREZA NÃO É NOSSA, NÓS SOMOS DA NATUREZA

Por: Claudia Souza


Assistindo uma entrevista do físico Marcelo Gleiser com o ativista indígena Ailton Krenak, em certo ponto, ele disse: "A natureza é nossa..." e essa reflexão me trouxe à essas linhas. 

Eu arrisco afirmar que a natureza não é nossa, nós é que somos da natureza. No momento em que a Terra resolver se recuperar, ela eliminará os humanos de dentro dela em fração de segundos.

O planeta Terra ainda não tomou essa decisão, porque todo o sistema cósmico ainda depende da pulsação energética criada pelos seres humanos para que seja possível a evolução do universo. Como disse Krenak: "os humanos são uma bactéria que desequilibra o planeta..." e, como o "mal" como é conhecido, é um "mal necessário", para provocar a interação e pulsação energética (do ponto de vista metafísico), somos excelentes geradores dessas diversas potencias de energia. A "mãe Gaia" permite essa efervescência barulhenta e borbulhante provocada pelos humanos; porém como uma mãe, a baderna desses filhos de vez em quando precisa ser controlada e silenciada se for necessário.

A Terra começa a dar novamente os seus sinais de que pode intervir em qualquer momento, pois a confusão não pode sair do controle. As queimadas nas florestas tem dado indícios de fogo que nasce do interior da terra, enquanto os humanos discutem e culpam as autoridades das formas de combate, sem se dar conta de que os comportamentos energéticos e sociais é que estão materializando diversas reações. O que consideramos como uma reação que pode destruir a raça humana, do ponto de vista global, pode ser apenas uma transformação ou uma transmutação para um outro estágio planetário, que aos olhos dos pretenciosos seres humanos, pode ser fatal, mas aos olhos do criador não passaria de uma modificação necessária para a sua continuidade.

Recentemente no Brasil, focos de incêndio com fogo gerado embaixo da terra estão sendo detectados. O fenômeno ocorre pelo depósito de folhas que geram gases inflamáveis através de faíscas e o fogo inicia debaixo da terra queimando as raízes que emanam apenas fumaça. Segundo os bombeiros, esse tipo de incêndio é dificilmente combatido. 

Novos vírus e gases estão se materializando através dos desequilíbrios da natureza, com os componentes químicos derramados em plantações, combustíveis e todo tipo de sujeiras depositados nas águas e no ar. Para colaborar com a destruição, os grupos políticos de algumas regiões do mundo, não se preocupam com as questões ecológicas e de saneamento básico.

A natureza ainda vai revelar muitas surpresas para a espécie humana e quando finalmente ela decidir, criará o seu próprio inseticida natural para exterminar as pragas que estão comprometendo o ciclo evolutivo. 

Os indígenas respeitam a terra, os vegetais e animais. O respeito às florestas e o contato mais natural com os elementos da Terra, favorecem o entendimento daqueles que desprezam as pessoas intituladas por eles como "loucas" ou "esquisitas", porque conversam com animais e plantas. A ciência tem demonstrado e comprovado as teorias dos velhos sábios que sempre valorizaram os elementos da natureza.  

Quando o cientista Masaru Emoto fotografou as células de água submetidas ao pensamento, músicas e palavras, comprovou que toda a produção emocional e energética dos seres da Terra, influenciam toda a cadeia composta por água. 

Na experiência, Dr. Emoto expôs a água nas diversas manifestações e congelou para examinar os pequenos cristais da água em um microscópio, verificando que de acordo com a manifestação às quais foram submetidas, as partículas tinham formas diferentes; portanto, podemos concluir como reagem todos os corpos compostos por água. Imagine nossos corpos, os vegetais e a Terra com os seus oceanos!



Podem haver várias soluções e resultados inusitados para a materialização desse bolo energético e é isso que os nossos ancestrais e até os animais estão tentando nos mostrar através dos ensinamentos pouco disseminados ao longo das eras, através dos conceitos filosóficos e religiosos.

Os Avatares, mártires e ícones da nossa história, nos remetem ao ponto de reflexão para a mudança do comportamento energético dos seres humanos através de suas mensagens de paz e amor.

Somente quando se tiver conhecimento e a vivência prática dos conceitos de paz e amor, os humanos passarão a interagir com o planeta Terra. Somente o "amor" pela natureza, pode fazer o ser humano refletir sobre as suas ações, com relação ao desmatamento, preservação de outras espécies, uso consciente dos combustíveis fósseis, naturais e minerais, consumo exagerado, desperdícios e combate à violência contra outros seres. 

A paz depende exclusivamente do amor e só pode ser conseguida, quando os humanos aprenderem a produzir suas frequências energéticas baseadas no princípio de respeito ao próximo, seja ele de qualquer natureza. Se os humanos aprendessem a amar, não existiria exploração humana, guerras de poder, matança animal e desequilíbrio ambiental.

A Terra promove a seleção natural ao longo do tempo em suas diversas regiões. O que o homem não consegue destruir pelas suas próprias mãos, realiza a materialização de suas energias, através do próprio organismo planetário. 

A única certeza de temos é que esse planeta luta diariamente para sobreviver com essa espécie humana que a degrada à cada dia e ela vai sobreviver enquanto puder. A raça humana começa agora a sua jornada para as conquistas interplanetárias e já começa a poluir e sujar o universo com os lixos cósmicos que está levando para fora. Só resta saber as consequências universais que isso provocará ao longo do tempo. 

Como estamos todos interligados, e a ciência já comprovou que a vida depende da irradiação solar para a produção da vegetação do planeta Terra, assim como a lua que controla as marés e as águas, devemos nos cercar de cuidados pessoais ao emanar as nossas energias cósmicas, pois podemos materializar doenças planetárias em outros planetas também.

Quem é que sabe se nosso sistema solar não depende do calor dos planetas quentes, ou dos gases emanados pelos planetas gasosos?

Pense nisso antes do seu próximo pensamento.


***


segunda-feira, 24 de agosto de 2020

SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS NA CHINA PODEM TRAZER CONSEQUÊNCIAS ENERGÉTICAS RUINS

"NÃO LEIA ESSE ARTIGO 
SE VOCÊ FOR SENSÍVEL"
Por: Claudia Souza



Dizem que a peste bubônica que derivou na peste negra, foi provocada pela inquisição, no século XIII, quando resolveram matar todos os gatos, porque consideravam eles demoníacos. 

O Papa Gregório IX ordenou que prendessem e julgassem todos os que eram considerados "hereges" pela igreja e junto com eles os seus animais de estimação, como os gatos pretos principalmente, foram todos parar na fogueira. 

Naquela época, o melhores predadores dos ratos eram os gatos. Resultado: Com a morte dos gatinhos, os ratos e suas pulgas se proliferavam, entravam nas residências e mordiam as pessoas, que ficavam doentes.

A igreja tenta ocultar esse fato, mas segundo os historiadores, as determinações do Papa Gregório IX estão impressas numa bula intitulada "Liced ad Capiendo" ("Embora possam ser levados" em latim), datada de 20 de abril de 1233. As pessoas misticas que eram consideradas como hereges eram submetidas a torturas e mortes terríveis. Os bichanos também eram caçados e queimados vivos em fogueiras.


A IGREJA LUCROU FORTUNAS COM A INQUISIÇÃO

A inquisição atuou principalmente na Europa, durante 600 anos aproximadamente e a maioria das vítimas eram as mulheres. As vítimas suspeitas eram submetidas a todos os tipos de horrores de tortura para que confessassem. Máquinas de tortura eram utilizadas para tais finalidades. As penas, impostas incluíam: trabalhos escravos, excomunhão e sentenças de morte em fogueiras, decapitações e enforcamentos. Muitos dos empreendimentos que integram a riqueza da igreja católica são compostos por bens confiscados dos sentenciados. 

No Brasil, entre 1591 e 1767, a inquisição condenou aproximadamente 400 brasileiros. Muitos eram transportados até Lisboa para serem mortos na Fogueira em Praça Pública.

As práticas nefastas de masoquistas da inquisição duraram até o século XVIII e é incalculável o número de mortos durante essa época.


A MODA DA CHINA E A 
ENERGIA PLANETÁRIA


MUITOS PARARAM NO TEMPO E NÃO ESTÃO EVOLUINDO ENERGETICAMENTE

Milhares de anos se passaram, o mundo está evoluindo tecnologicamente, principalmente na Asia, mas infelizmente alguns ainda possuem baixa estima pelos irmãos do planeta.

Na China, um dos locais aonde explodiu a peste negra no passado, até hoje, a população possui gostos alimentares excêntricos e os "bichos de estimação do ocidente", como gatos e cães são fartamente oferecidos em sacrifício para pratos e matéria prima da moda. O governo chines concorda com a prática e não existem leis que defendem a vida animal. 

Em todos os países do mundo, ainda se consome proteína animal e o homem permanece no topo da cadeia alimentar, mas isso pode mudar. As práticas nefastas tem prazo para terminar. A humanidade parece não ter aprendido nada com o sacrifício animal e as suas consequências, e por conta disso, as lições vindouras serão cada vez mais duras, até o dia em que a contaminação será tamanha que seremos impedidos de consumir todos os tipos de carne. A natureza arranjará um termo para defender as suas criaturas do instinto desumano.






COMO DEUS ATUA?


O criador não está presente em nenhum tipo de matança desumana. Os animais carnívoros, consomem outras espécies para sua própria sobrevivência e até os predadores selvagens, matam e comem apenas o necessário para saciarem a fome e ainda dividem com as outras espécies. Assim é descrito nos documentários do mundo animal, entre os mamíferos selvagens como os leões, tigres, onças, lobos, entre outros. Eles não caçam por esporte, vaidade ou interesse econômico. 

O ser humano, "dotado de inteligência e raciocínio criativo", ironicamente difere-se desses animais; pois por vaidade, maldade e selvageria, caçam para se exibirem e comemoram a morte e o sofrimento de outras espécies. Não consomem apenas o necessário para a sua sobrevivência. Muitas vezes desperdiçam a carne e vidas geradoras de energia divina.



De acordo com o comportamento energético que vem sendo estudado e difundido ultimamente, não existe o "pecado" ou a "punição" pelos nossos atos, mas percebe-se que o planeta Terra, ou Gaia, como é conhecido entre as comunidades esotéricas, tem feito vários ajustes, a fim de esclarecer e remodelar os humanos através de exemplos e lições de vários tipos. 

Assim como no passado em que as pragas e pestes dizimaram populações, o ciclo continua em movimento trazendo para os tempos atuais novas situações em que a humanidade está sendo obrigada a parar para refletir sobre os seus atos. A matança em larga escala de gatos e vários outros animais na China e no resto do mundo, por exemplo, pode estar se materializando em forma de diversos vírus, pragas e pestes (haja vista que vários vírus são comprovadamente oriundos da China, como o vírus da Sars que vem do morcego, a gripe aviária (H5N1), vírus da gripe tipo A (1968), gripe asiática (1957) e recentemente o coronavírus).

Os gatos são seres com alto poder energético. 


Eles são capazes de filtrar e transmutar a energia de um ambiente. Quem tem gatinhos já pode ter observado diversos comportamentos estranhos dos bichanos, como o gosto deles por cantinhos da casa, aonde eles gostam de permanecer. Já devem ter notado que eles gostam de ficar próximos aos humanos mais idosos e aos mais novos também. Eles percebem alterações de temperatura nos corpos de seus donos e atuam de forma terapêutica em alguns casos, aquecendo as partes do corpo que estão com algum tipo de doença. Em muitos casos, eles atraem para si próprios a doença do dono e se sacrificam. 

Animais com esses poderes são dotados de força energética criativa e auxiliam os ambientes aonde vivem e são tratados com amor e carinho. Da mesma maneira, a interrupção e transmutação dessa energia positiva em negativa através da dor causada por maus tratos e sacrifícios, se expande na bolha energética com a mesma proporção. Quando essas energias de sofrimento se acumulam e atingem o grau necessário para a expansão, elas materializam vidas nocivas, muitas vezes microscópicas e invisíveis capazes de destruir quem as criou, no caso, os causadores da energia, em maioria os humanos, que são acometidos de males como vírus e bactérias ou fenômenos abruptos manifestados na crosta do planeta que não consegue suportar a descarga energética. Por proteção divina, a explosão dessas energias criadas em movimento, explodem de fora para dentro, ou seja, da crosta para o centro da Terra, atingindo todas as formas de vida, mas principalmente aquelas que estão em sintonia energética com a sua forma e grau. A explosão no sentido contrário (da crosta para dentro) impede que a nossa energia nociva se expanda pela galaxia prejudicando outros planetas. Sendo assim,  quem estiver se alimentando de sacrifício animal, matando e sacrificando por prazer e sem necessidade, estará mais susceptível à absorção dessas energias nocivas que afetarão o sistema imunológico, nervoso e emocional.




Tudo permanece num ciclo, pulsando dentro do planeta, que filtra e magnetiza do universo outras energias em consonância com grau de equivalência. Se a nossa maior carga energética for positiva, Gaia atrairá energias leves e amorosas de alta frequência espiritual elevada, capaz de nos integrar com as inteligência cósmicas mais avançadas; caso contrário, ela também poderá atrair em proporção a energia negativa, pesada, densa com frequência espiritual primitiva, do início dos tempos, mantendo os humanos ignorantes, enquanto os animais integrados com a natureza evoluem cada vez mais. 

Quando olhar para os outros planetas espalhados pelo universo, vendo alguns inteiramente destruídos, petrificados, gasosos, sem sinal nenhum de vida, reflita: O que teria acontecido naquele local? Qual foi o tipo de energia que materializou aquele planeta? Segundo estudos modernos de astronomia, alguns planetas já podem ter tido formas de vidas há milhares de anos.

A ciência moderna está conseguindo recriar órgãos artificiais e as indústrias de moda também conseguem produzir couro e pelúcias sintéticas que poderiam minimizar o sacrifício de várias espécies. A nova geração já está conseguindo abdicar da carne na sua nutrição, os mais velhos estão se conscientizando e diminuindo a ingestão de carnes em seus cardápios, fazendo com que os velhos corpos carnívoros se readaptem a um novo tipo de alimentação nutritiva e menos nociva ao sistema. Na medida que as novas consciências deixam de consumir produtos derivados de animais, a cadeia produtiva terá que se reinventar e expandir positivamente, com uma maior integração dos humanos com a natureza da qual deveríamos cuidar e preservar para as futuras gerações.

Essas ações de extermínio animal, tanto para a moda, quanto para a alimentação humana, retorna em forma de desequilíbrios, pestes e vírus dos mais variados tipos. As consequências não recaem apenas nos que cometem as atrocidades, mas em toda a humanidade. Precisamos nos esforçar para evoluir porque estamos todos interligados.



DIGA NÃO!!! PARA A CRUELDADE .


***


quinta-feira, 13 de agosto de 2020

O quanto os signos podem dizer da sua saúde





Como a influência dos planetas pode ajudar a descobrir a área da saúde que precisa de mais atenção


Os signos podem influenciar como a pessoa reage em determinadas situações, assim como influencia também na forma como os acontecimentos impactam na vida, além de como a pessoa guarda isso para si ou coloca isso no Universo. Tudo isso pode afetar o emocional e, consequentemente, trazer doenças físicas também. Conhecer esses aspectos pode ser uma vantagem para saber as áreas que precisam de mais atenção e trabalhar isso preventivamente.

A astróloga Sara Koimbra conta quais são as características de cada signo e ensina a neutralizar esses aspectos.

Áries: este signo é muito enérgico e, por isso, tem grande tendência a desenvolver problemas como ansiedade e estresse. Também pode desencadear dores de cabeça, nos olhos, tensão nos músculos dos ombros, pressão alta e nevralgias. É importante prestar atenção nas emoções e tentar descansar a mente diariamente, sem deixar acumular essa tensão típica do ariano.

Touro: taurinos têm mais propensão a ter problemas com a voz e relacionados à garganta, além de ser o signo relacionado também ao sistema digestivo. É preciso prestar atenção nas emoções para não ficar com nada guardado e causar dores de garganta e inflamações causadas por problemas emocionais mal resolvidos. Apesar disso, Touro tem uma grande energia de absorção e pode tirar vantagem disso para digerir melhor as situações.

Gêmeos: como um dos signos de Ar, Gêmeos pode ser afetado por tudo o que envolve o sistema respiratório. Tem tendência a desenvolver problemas como pneumonia, bronquite e asma, esta última pode ter como uma das causas a ansiedade. O geminiano precisa relaxar e respirar com calma. Deixar fluir e buscar tratamentos naturais podem ser boas alternativas.

Câncer: este é o signo que rege o aparelho digestivo. O canceriano tem uma energia materna e, por isso, tem facilidade de se recuperar, mas pode adoecer como forma de autoproteção, como um recado para diminuir o ritmo. O estresse pode causar dores estomacais também, por isso é importante tirar um tempo para digerir situações difíceis e deixar o passado ir.

Leão: um signo cheio de vitalidade, que rege o coração, por isso, precisa dar atenção ao check-up anual e cuidar para evitar doenças cardíacas e colesterol. Tem tendência a sentir palpitações e arritmias. Outro ponto de atenção para leoninos é a coluna, podendo desenvolver lordose e escoliose. Por sua energia, faz a recuperação ser mais rápida, com vontade de melhorar logo.

Virgem: o virginiano é muito preocupado com sua saúde e em excesso pode se tornar hipocondríaco. Este signo tem tendência a ter problemas intestinais, mas como está sempre muito atento aos sintomas deve agir rápido e levar o tratamento a sério e por isso não tem muitas complicações.

Libra: este signo rege os rins. Librianos precisam cuidar para não reprimir demais as emoções que acabam se solidificando em cálculos renais. Além disso, este signo tende a ter problemas de infecção urinária e cólicas. É muito importante beber muita água ainda mais para os librianos.

Escorpião: signo que rege a área sexual, portanto é preciso cuidado redobrado na proteção tanto física quanto energética nas relações. Também pode ter problemas com intestino desregulado. Como todo signo de água tem grande força para se regenerar e se adaptar, mas também pode ser mais sensível.

Sagitário: o sagitariano tem tendência a se machucar mais nas coxas, nádegas e quadril. Além disso, com sua energia forte de fogo, tem propensão a problemas no fígado e relacionados ao sangue. É importante cuidar das ações por impulsos, mas essa força pode ser positiva ajudando a buscar informações e levar o tratamento muito à risca.

Capricórnio: este signo tem grande tendência a ter doenças da terceira idade desde cedo, como problemas ósseos, reumatismo nos joelhos e na coluna. Por ser muito exigente e perfeccionista pode desenvolver problemas de má digestão e absorver esse estresse de não ter limites no trabalho e se cobrar demais.

Aquário: pessoas do signo de aquário podem desenvolver com mais facilidade doenças circulatórias, além de problemas nervosos, com estresse e ansiedade. O aquariano precisa tomar cuidado para não cuidar demais dos outros e negligenciar a própria saúde.

Peixes: este signo rege os pés e o sistema linfático. Tem propensão a desenvolver problemas hormonais e precisa ficar atento para não transformar uma situação mal resolvida em dor física, desenvolvendo doenças causadas pelo desequilíbrio emocional. Por isso, é importante se cuidar e fazer atividades que liberem esse estresse, além de sempre escutar sua intuição.

Sara Koimbra atua há mais de 10 anos como astróloga, numeróloga e taróloga. Alia seus conhecimentos a terapias e orientação vocacional para adolescentes em busca da primeira profissão e adultos que querem se reinventar profissionalmente. Atua também com avaliação da política usando suas técnicas. instagram.com/sarakoimbra

QUANDO O DESERTO TOMA CONTA DE UM SER?




Por: Claudia Souza

Não sabemos ao certo em que ponto alguns seres se entregam ao abandono. Quais os obstáculos que interpõem os caminhos daqueles que não encontram forças para se levantarem e seguirem em frente?

Os seres humanos, os animais e vegetais do sistema Terra, são como dínamos geradores de diversos tipos de energia. 

A qualidade das energias criadas é que movimenta o sistema de desenvolvimento planetário para inúmeros futuros disponíveis, que são criados dentro dos mais variados campos de conhecimentos que foram formados por outras energias deixadas e vivenciadas pelos seres vivos do planeta Terra.

Desde que a camada terrestre foi formada com capacidade de receber as criaturas que foram geradas aqui e mais tarde, transformadas com novos corpos, pelos visitantes que aterraram seus DNAs na Terra, outras formas de consciência foram implantadas nos quarks que integraram os elementos necessários para a vida.

Os seres que nasceram na Terra, passaram a se comportar de acordo com o planejamento ou a "programação" para contribuírem com outras espécies na cadeia de desenvolvimento interplanetário. Das plantas aquáticas até os seres humanos, todos os seres vivos, estão passando por diversas mutações genéticas e consequentemente energéticas.

Imagens rupestres mostraram a influencia de seres alados e da luta pela sobrevivência


A mutação genética é resultado da vibração energética e a vibração energética é mutável na medida que ocorre a mutação genética. Uma coisa interdepende da outra.

A raça humana não é consciente do seu verdadeiro papel no contexto evolutivo extraterreno, pois mal conseguiu lidar consigo mesma; mal consegue controlar os seus próprios corpos, a consciência, emoções e os sentidos. São como 'crianças pequenas que ainda colocam o dedo no nariz por impulso físico' e desconhecem com profundidade o senso ético e a responsabilidade de suas ações, quanto mais as consequências de suas próprias vibrações. Não possuem a capacidade de amar sem prender, cooperar sem escravizar, trabalhar em equipe pelo bem comum, interligados numa só consciência para alcançar um objetivo a longo prazo. Alguns estão descobrindo agora o sentido da palavra cooperação, no âmbito de colaborar de corpo e alma por um bem comum sem necessidade de tirar proveito próprio.

Quando uma alma entra em estado de abandono, ela ainda encontra-se no estágio primário da incompreensão e desconhece que a única energia que está gerando é a que corresponde aos campos do egoísmo. Agindo assim, não percebe que existem outras almas e um planeta em movimento que depende da sua geração de energia, seja de qual valor cósmico for.

Até mesmo a energia gerada por uma formiga é importante para o desenvolvimento humano e consequentemente do planeta Terra. Não se trata somente dos seres terráqueos, o que essas almas desconhecem é que até mesmo os seres desencarnados, mas vivos em outras esferas que os humanos ignoram, dependem de toda energia para que possa ser usada, transmutada e readaptada para uma nova expansão e criação de novos corpos e elementos cósmicos contidos no universo em criação.



terça-feira, 11 de agosto de 2020

COMO MANTER UM COMPORTAMENTO ENERGÉTICO CRISTICIÍSTA




Entrevista com o médium Adilson Teixeira de Godoy, mais conhecido como o pianista e compositor Adylson Godoy, fundador da Filosofia Cristiciísta, com textos psicografados, ditados pelo mentor Don Adyan, oriundos do Colégio Sacerdotal da Ordem de Melquisedeque, no plano espiritual.
O comportamento energético e o entendimento sobre como transmutar a energia é a fonte do conhecimento transmitido pela Ordem Cristiciísta.
Para saber mais, segue os links: Site Cristiciísta: www.filosofiacristiciista.com.br ou www.filosofiacristiciista.blogspot.com

Facebook Cristiciísta: https://www.facebook.com/cristiciismo2016 Canal Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC0PKAeAVomrLbnizIE3VEjA
Faça parte do nosso grupo no facebook: 
Siga o blog: www.filosofiacosmica.com.br

https://www.facebook.com/groups/filosofiacosmica/ 

sexta-feira, 19 de junho de 2020

COMO ENCARAR O NOVO NORMAL



"Como encarar o 'novo normal' e seus desafios psicológicos", por Andréa Ladislau, doutora em psicanálise


A pergunta que muitos se fazem é: qual realidade nos espera após o confinamento? Durante a quarentena, estamos sendo obrigados a conviver com um cenário bem diferente do habitual. Restrições de contato físico, utilização de máscaras, cancelamento, adiamento de encontros socias (festas e shows) e viagens, aulas virtuais, implantação da modalidade home office, entre outros. Enfim, mudanças drásticas tanto na vida pessoal quanto profissional. Ainda dentro dessa análise, destaco a real necessidade de alteração em muitos planos de vida. Casamentos adiados, mudanças canceladas e até a convivência com nosso pior pesadelo: as perdas de pessoas próximas ou conhecidas. Milhares de vidas ceifadas por uma tragédia que ainda assola nossa humanidade.


O termo “Novo normal” tem sido amplamente divulgado, referindo-se a volta à realidade diante das mudanças profundas em nossas rotinas e hábitos. Algumas delasm inclusive, já dão sinais de que vieram para ficar - enquanto outras desempenham um caráter transitório e necessário.


No entanto, esses novos tempos exigem do ser um humano pitadas de tolerância à frustração, cada vez mais necessárias para que seja possível encarar a perda ou o cancelamento de projetos - muitos, inclusive, planejados e pensados há muito tempo, mas destruídos por um virus que trouxe medo, angústia, incerteza e pânico.


Sempre quando nos vemos perdendo o controle do que nos é externo, tendemos a entrar em um processo de tensão e ansiedade e, consequentemente, descontrole do nosso interno. Conviver com o fato de que nem tudo que é planejado será realizado pode ser bem aceito por uns e ser encarado com grandes dificuldades por outros. Houve, portanto, uma imposição à novas adaptações de maneira inédita e repentina.


Constatamos, da pior maneira, que não temos controle sobre nada. Descobrimos um novo mundo interno (ou diria velho mundo interno?) que exige do indivíduo muito mais sanidade e equílibrio, sem fugir da realidade. Conciliando mundo interno com mundo externo de forma saudável.


A consciência de toda esssa nova circunstância remete à lições adquiridas e à reflexões profundas que desnudam o sentido de humanidade. Sabemos que as experiências que mais nos transformam são aquelas das quais desejamos fugir. Sendo assim, encarar as trasnformações de frente, sustentar e dialogar com suas emoções e desconfortos internos, sem se identificar com eles e sem negar o que sente, são dicas preciosas para conseguir explorar os novos cenários, novos hábitos e os novos posicionamentos. Mas cabe ressaltar que, para a psique, não existe certo ou errado, normal ou anormal. Existe a realidade particular do indivíduo alicerçada por seus valores, desejos e sua bagagem pessoal. Mas o “Novo Normal” que estamos prestes a vivenciar é o legado de uma pandemia que mudou a vida de todos e implantou novos hábitos, passageiros ou definitivos.


Neste momento, fazendo uma análise deste impacto. A paciência e a tolerância serão muito mais exigidas para a manutenção do equilíbrio emocional. O nosso maior desafio, certamente, será aprender a tornar esse “Novo normal” em um “Normal melhor”. A desestruturação dos comportamentos e a ação aniquiladora das certezas, trazidas pelo Covid 19, deixarão marcas em toda a humanidade. O que vamos fazer com essas marcas e como iremos conviver com elas é que será a grande sacada de sucesso para o equilíbrio psíquico de cada um.


No entanto, tenho boas notícias: se somos seres adaptativos, o “Novo normal” pode, facilmente, fazer parte de nossos dias. Enfrentar as muitas realidades impostas pós pandemia será um desafio individual - e como temos uma infinita capacidade de sermos resilientes, afetuosos e empáticos, podemos, sim, fazer o melhor uso do verbo ressignificar. Sabemos que a vida não é estática e as mudanças internas e externas serão constantes ao longo de nossa trajetória. A crise demonstrou que a valorização dos detalhes e dos pequenos prazeres modificou nosso olhar.


Além disso, também fica evidenciado que a mudança e a aceitação de uma nova maneira de dialogar consigo mesmo, aceitando e respeitando seus desejos , sem dúvidas já demonstram o começo das novas mudanças, arriscando até a dizer: não há mais espaço para dramatizações, mas sim para adaptações. Adaptações que levem o ser a encontrar meios para dominar suas emoções e eliminar fragilidades que levam a desestruturação emocional, alimentando transtornos psíquicos destrutivos à mente humana. Enfim, novos tempos, novas chances para desconstruir conceitos e formatar novos empoderamentos pessoais. Tudo vai depender da forma como cada um irá encarar a nova realidade que se desenha após toda a tempestade que estamos enfrentando.